nTurismo – conheça o mundo

visite o mundo sem sair de casa

Mênfis e sua necrópole – os campos da pirâmide de Gizé a Dahchur

O Conjunto em Mênfis abraça uma série de monumentos excepcionais de grande antiguidade. A pirâmide de degraus do primeiro faraó do período Memphis, construído inteiramente em pedra calcária, é a mais antiga estrutura arquitetônica conhecida deste tipo, de regularmente em pedra. Em Gizé, um dos mais antigos barcos hoje, preservados da Barca solar, foi descoberto intacto no complexo em torno da pirâmide de Cheops. A necrópole arcaico remonta de Saqqara ao período da formação da civilização faraônico. O excepcional interesse histórico, artístico e sociológico destes monumentos testemunha uma das civilizações mais brilhantes deste planeta.

A capital do antigo Reino do Egito tem alguns monumentos funerários extraordinários, incluindo túmulos de rocha, ornados mastabas, templos e pirâmides. Na antiguidade, as pirâmides foram consideradas uma das sete maravilhas do mundo.

A primeiro monarca do Reino unificado egípcio, Menes ou Narmer, ordenou a construção de uma nova capital em torno do Delta do Nilo, a cidade de Menes, Mennufer, também conhecido como Huta-Ka-Pta ou habitação do Ka de Ptah, o mais importante santuário dedicado ao Deus da força criativa, retratada como um artesão com cabeça de carneiro, trabalhando intensamente para a humanidade de forma em sua roda de oleiro. A grandeza de Memphis, como era conhecido pelos gregos antigos, todos os que sobrevivem hoje são algumas ruínas do Santuário de Ptah, de onde vieram muitas estátuas votivas representando Faraós e dignitários e necrópoles monumentais.

(c) Berthold Werner

Na necrópole de Saqqara, o mais próximo para a capital e a maior da terra, ergue-se a primeira pirâmide de pedra grande. Ele foi construído como um mausoléu de Djoser, o fundador da terceira dinastia. Esta foi uma transformação de túmulos anteriores, em forma de retângulos de tijolo grande, com as paredes inclinando-se dentro e um telhado liso, comumente referido como mastabas. Para o primeiro tijolo do tempo foi substituído por pedra. A pirâmide está localizada dentro de um complexo funerário cercado por um muro cortina subindo a uma altura de 10 mt. construído a partir de um calcário refinado. Há 14 portas de pedras falsas na parede compartimento e uma entrada monumental consistindo de um corredor e um vestíbulo flanqueado por colunas. O caminho de entrada leva a uma praça conhecida como pátio do Jubileu. Um lado isso é ocupado por um grande pódio pisou na qual foram dispostos os tronos do faraó; para o leste e o oeste do pódio santuários foram construídos.

O fundador da quarta dinastia, Seneferu, transformou a estrutura do túmulo uma vez por todas, escolhendo a forma de pirâmide agora familiarizado com uma base quadrada. Na necrópole de Dahchur ergue-se a Pirâmide Vermelha, em homenagem a tonalidade avermelhada da pedra calcária que foi usada para construí-lo. Ao sul está a pirâmide de losango, com sua inclinação dupla em cada uma das quatro faces, aparentemente uma forma intermediária. Com Seneferu pela primeira vez apareceu a construção de anexo.

O crédito vai para o filho de Seneferu, Quéops ou Cheops e seus sucessores Rahaef (Quéfren) e Miquerinos (Mycerinus) para a construção de grandes pirâmides de Gizé. A pirâmide é um símbolo do sol, o grande Deus Ra, cujo culto se tornou preeminente da quarta dinastia; os textos da pirâmide, encontrada nas câmaras funerárias dos túmulos datam do final do Império antigo, falam da transformação do rei morto em sol.
Horizonte de Cheops foi o nome dado a tumba do faraó, o maior e o mais antigo. A entrada está localizado no meio do lado norte. No interior a passagem estreita se divide em dois, uma pricipal para uma câmara esculpida na rocha abaixo do monumento e o outro para uma sala pequena chamada Câmara da Rainha e daí para a grande galeria e a grande câmara do rei.

As outras duas pirâmides eram conhecidas na antiguidade como ‘Grande é Chepren’ e ‘Divino é Mycerinus’ respectivamente. Cada túmulo faz parte do clássico primeiro complexo funerário construído a mando de Seneferu.

Images (c) Berthold Werner

 

ÁfricaEgitoMênfisMonumentosPatrimónio da Humanidadepirâmide de Gizé

Automatico • 19 de Março de 2012


Previous Post

Next Post

Deixe uma resposta

Your email address will not be published / Required fields are marked *